destaque Destaques Duelo de Titãs investimentos Produtos

Avon x Natura: as líderes de venda direta e os novos rumos do mercado de cosméticos

A Avon é uma empresa americana de 130 anos de existência. A Natura, uma empresa brasileira com meio século de vida. Líderes no segmento de vendas diretas, as duas companhias têm presença global e juntas alcançam mais de 200 milhões de consumidores em todo o mundo.

A Avon é uma empresa americana de 130 anos de existência. A Natura, uma empresa brasileira com meio século de vida. Líderes no segmento de vendas diretas, as duas companhias têm presença global e juntas alcançam mais de 200 milhões de consumidores em todo o mundo.

Quem vende mais, Avon ou Natura?

Quando o que está em jogo é faturamento, a Avon larga na frente, com US$ 5,6 bilhões contra US$ 3,7 bilhões da concorrente brasileira.

Santo de casa faz milagre?

E como! A Natura, embora esteja atrás da Avon no mercado brasileiro, tem apresentado aumentos consecutivos tanto na receita quanto no desempenho das consultoras. O mercado nacional é responsável pela maior parte do faturamento da empresa. Em reais, o mercado doméstico rendeu à brasileira R$ 1,8 bilhão em 2018. Já a americana faturou R$ 3,8 bilhões por aqui.

Mas nem só de vendas se faz o sucesso de uma empresa. Enquanto a Avon amarga uma trajetória de 3 anos de prejuízos, a Natura vem ampliando sua presença mundial e investindo na expansão. E cresce não apenas aumentando a base de clientes e consultoras, mas adquirindo outras marcas.

ekosdivulgação

Linha Ekos, da Natura. Créditos: divulgação.

Expansão da Natura e prejuízos consecutivos da Avon

Em 2017, a Natura adquiriu a britânica The Body Shop por cerca de € 1 bilhão, elevando sua participação no mercado mundial de cosméticos. Com a aquisição, a Natura passou a ter sob controle 3200 lojas e 1,8 milhão de consultoras.

Já a Avon terminou 2017 com US$ 3,5 bilhões de prejuízo, acumulado desde 2015. Os resultados negativos da Avon resultaram na deterioração de seu valor de mercado. As ações da empresa, nos últimos anos, saíram do patamar de US$ 15 e chegaram a US$ 3.

[Mais Duelo de Titãs] Disney x Netflix: como a guerra do streaming impacta seus investimentos.

avon

Natura: Rentabilidade e valorização mesmo em tempos de crise

A Natura atravessou a crise brasileira com forte oscilação de seus papéis, mas a saúde financeira da empresa foi mais forte que o sobe e desce da bolsa. Mesmo com baixas bruscas, a trajetória foi de valorização, sustentada pelo aumento contínuo nas vendas. Em 2017, quando a Natura adquiriu a The Body Shop, os papéis da empresa terminaram o ano cotados a R$ 33,17. Em fevereiro de 2019, pouco mais de um ano depois, as ações da Natura chegaram a custa R$ 49,63.

natura

Avon: continuidade sob nova direção

A perda de rentabilidade da Avon obrigou a empresa a buscar um novo rumo para os negócios. Em maio de 2019, a Natura submeteu aos órgãos reguladores e aos acionistas das duas companhias a proposta de adquirir a Avon. O objetivo é, mantendo as marcas, criar a 4ª maior empresa de produtos de beleza do mundo, com receita bruta superior a US$ 10 bilhões e alcance de 200 milhões de clientes de diferentes perfis, em 100 países de todos os continentes.

O resultado da compra deve ser a criação de uma nova companhia, a Natura & Co., com a seguinte composição acionária:

76% de participação dos acionistas da Natura

24% de participação dos acionistas da Avon

A aquisição marca o fim de um ciclo na trajetória de 130 anos da Avon. Mas a solidez da marca, o sucesso do modelo de negócios porta a porta e a importância histórica na inclusão das mulheres no mercado de trabalho garantem à empresa a possibilidade de, diante das dificuldades, preservar seus êxitos. Como parte de uma gigante que vem ganhando o mercado mundial, a Avon deve continuar a ser uma marca de relevância mundial e forte presença no mercado.

[Mais Duelo de Titãs] Pepsi x Coca: investir na marca mais valiosa ou na empresa que vende mais?

Como investir na Natura & Co.

Quem investe em ações com a Warren já é sócio da Natura. O nosso fundo de ações brasileiras conta com ações da companhia.

Lembre-se: um portfólio diversificado de ações é sempre a melhor solução para quem quer aproveitar ganhos maiores que os da renda fixa com risco diluído, por não depender apenas de uma empresa. Além da diversificação do fundo, você ainda conta com gestores especializados para definir quais ações comprar.

Quer começar a investir com a Warren? Clique aqui!

0 comentário em “Avon x Natura: as líderes de venda direta e os novos rumos do mercado de cosméticos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: