investimentos

Como estão os fundos de renda fixa dos bancos em 2019?

Além da baixa performance, as taxas abusivas fazem com que os investidores obtenham péssimos rendimentos, levando até a perdas em alguns dos casos. Saiba mais.

Falar de investimentos ainda é um tabu, principalmente no Brasil. É por isso que a maioria dos brasileiros acabam mantendo seu dinheiro na Poupança, quando poderiam estar investindo em outros produtos mais efetivos, com igual segurança. Porém, antes de mudar de investimento, é preciso estar atento a alguns fatores, entre eles a segurança, os custos e o rendimento da aplicação.

Sabemos que a segurança é o alicerce de qualquer investimento, mas precisamos concordar que de pouco adianta investir com segurança se os custos e os rendimentos não trouxeram um retorno satisfatório, não é mesmo? E quando analisamos os resultados dos maiores fundos de investimento do país, os números assustam.

De acordo com números divulgados pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais), nos quatro primeiros meses de 2019, esses fundos acumularam uma média de 1,4% de rendimento, o que dá em média 0,35% ao mês. E aqui ainda não estamos considerando os descontos das taxas. Quando subtraímos esse valor, os rendimentos reais ficam ainda piores.

Para apresentar melhor esses dados, confira os números abaixo separados por fundos. Esses fundos são alguns dos que tiveram o maior número de cotistas em 2018, ainda de acordo com a Anbima:

CAIXA FI RF SIMPLES LP

Banco: Caixa Econômica Federal
Rentabilidade do fundo mês (abril): 0,40%
Rentabilidade do fundo ano (jan-abril): 1,55%
Projeção para 2019: 4,8% (73,84% do CDI)
Taxa: 1,5% a.a.

BB RENDA FIXA 500

Banco: Banco do Brasil
Rentabilidade do fundo mês (abril): 0,35%
Rentabilidade do fundo ano (jan-abr): 1,69%
Projeção para 2019: 4,3% (66,15% do CDI)
Taxa: 2,20% a.a.

BRADESCO FICFI RF REF DI HIPERFUNDO

Banco: Bradesco
Rentabilidade do fundo mês (abril): 0,27%
Rentabilidade do fundo ano (jan-abr): 1,03%
Projeção para 2019: 3,2% (49,84% do CDI)
Taxa: 2,90% a.a.

BB RENDA FIXA SIMPLES FI

Banco: Banco do Brasil
Rentabilidade do fundo mês (abril): 0,36%
Rentabilidade do fundo ano (jan-abr): 1,40%
Projeção para 2019: 4,3% (66,46% do CDI)
Taxa: 1,95 a.a.

BRADESCO FIC DE FI RF SIMPLES ÔNIX

Banco: Bradesco
Rentabilidade do fundo mês (abril): 0,35%
Rentabilidade do fundo ano (jan-abr): 1,35%
Projeção para 2019: 4,2% (64,61% do CDI)
Taxa: 2,0 a.a.

Leia também: Rendimento da poupança: por que a Warren é melhor? 

Além da baixa rentabilidade e das taxas altas, ainda é necessário descontar o Imposto de Renda, que incide sobre a rentabilidade e varia conforme a duração da aplicação. Quanto mais tempo você deixar o dinheiro rendendo, menor será o IR, sendo que a menor taxa é de 15%, aplicado em investimentos com mais de 720 dias de duração. 

Renda Fixa da Warren: a força dos fundos de crédito privado

Os fundos de renda fixa são indicados para objetivos de curto, médio e longo prazo, para investidores com perfil mais conservador e que não querem correr riscos com oscilações. Mas ao investir em produtos ruins, os investidores, mesmo quando investem em produtos de baixo risco, podem perder dinheiro, como vimos nos números acima. Mas isso não precisa ser uma regra absoluta.

Investindo no Fundo de Crédito Privado da Warren você aproveita a tranquilidade da renda fixa, com performance acima do CDI, além de estar investindo com diversificação, já que o seu dinheiro é aplicado em um portfólio de títulos privados de empresas, formados, em sua maioria por CDBs, LF e debêntures.

Assim, o Fundo de Crédito Privado da Warren consegue entregar uma performance superior, com rendimentos que buscam a partir de 105% do CDI. E o melhor: com um resgate de dois dias úteis.

Está na hora de sair dos bancos tradicionais, das taxas abusivas e da baixíssima performance que eles entregam.

Vamos lá? Comece agora clicando aqui.

Fonte: Anbima

2 comentários em “Como estão os fundos de renda fixa dos bancos em 2019?

%d blogueiros gostam disto: