investimentos Produtos

Como a poupança se tornou um produto ruim?

Quando se fala em guardar dinheiro, ou então investir, o primeiro produto que vem à mente da maioria das pessoas é a poupança. Mas você sabia que atualmente ela é um dos piores locais para deixar seu dinheiro rendendo?

Quando se fala em guardar dinheiro, ou então investir, o primeiro produto que vem à mente da maioria das pessoas é a poupança. Mas você sabia que atualmente ela é um dos piores locais para deixar seu dinheiro rendendo? Isso porque a taxa de juros anual da poupança beira os 4,55% ao ano, quase 2% a menos que a taxa Selic (que hoje está em 6,5% ao ano). Isso quer dizer que praticamente qualquer outro investimento, que seja regido pela Selic, irá pagar, aproximadamente 2% a mais por ano do que a poupança.

Em um primeiro momento, 2% parece pouca coisa, mas para os juros compostos esse valor faz uma grande diferença. Ao longo deste texto iremos mostrar alguns exemplos para que essa diferença seja percebida de maneira mais concreta. Mas, antes, vamos falar um pouquinho mais sobre a poupança.

Qual é a história da poupança?

A poupança existe há mais de 150 anos no Brasil. Ela foi criada pelo Imperador Dom Pedro II, em 1861. Desde a sua criação, pagava juros de 0,5% ao mês mais a taxa referencial, o que mudou em 2012, quando a legislação brasileira determinou que a rentabilidade seria guiada pela taxa Selic. Ou seja, pela norma em vigor, sempre que a taxa Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano, a Poupança sofre cortes. Assim, a correção anual fica limitada a 70% da Selic, mais a Taxa Referencial, calculada pelo Banco Central. Justamente o que está acontecendo com a Poupança no atual momento, já que a Selic atual está em 6,5%.

Por que a poupança perdeu rendimento?

Com a taxa Selic abaixo dos 8,5% desde 2018, a Poupança tem apresentado rendimentos nada satisfatórios. Desde 2018 a Selic apresenta uma média de juros de 6,5% ao ano e com isso paga apenas 70% desses juros, o que significa um retorno de cerca de 4,55% ao ano.

Além da rentabilidade baixa, a poupança tem outros fatores que a fazem ser um investimento ruim. Um deles é a baixa performance no longo prazo, ou seja, um investimento não muito atraente para quem pretende guardar dinheiro para a aposentadoria, por exemplo. Outro fator negativo é o prazo para recebimento da rentabilidade. Enquanto outros investimentos distribuem a rentabilidade em todos os dia úteis, a poupança paga apenas na data de aniversário do depósito. Ou seja, se você depositou um valor no dia 05 de março, os juros entrarão na conta apenas nos dias 5 dos meses seguintes. Se por algum motivo você tiver que sacar o valor no dia 4, não receberá a rentabilidade do último mês.

Apesar de a Poupança ser considerada um dos investimentos mais seguros, essa segurança fica limitada à situação do banco onde seu dinheiro está depositado. Se ele falir, você pode perder dinheiro, principalmente se essa quantia for superior a R$ 250 mil. Valores de até R$ 250 mil  ​são assegurados pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), uma entidade privada, sem fins lucrativos, que administra um mecanismo de proteção aos correntistas, poupadores e investidores, que permite recuperar os depósitos ou créditos mantidos em instituição financeira em caso de intervenção, de liquidação ou de falência.

Mas para entender ainda melhor como a poupança se comporta ao lado de outros investimentos, confira uma projeção de comportamento esperado da poupança e outros investimentos. Lembrando que como o objetivo é de longo prazo, os números podem variar para mais ou para menos, conforme o comportamento do mercado.

tabela-poupanca

Alternativas à poupança

Já que a Poupança não é mais uma opção inteligente para quem quer investir seu dinheiro, em quais produtos o investidor deveria alocar o seu dinheiro? Existem opções igualmente seguras, com liquidez diária e com rendimentos muito melhores. Abaixo trazemos alguns exemplos:

Títulos Públicos

Quando você investe em Títulos Públicos, você está emprestando dinheiro para o governo federal. Por isso, este investimento é considerado um dos mais seguros disponíveis no mercado. Seu risco é baixíssimo, já que quem garante seu patrimônio é o próprio Tesouro Nacional e o risco do país falir é quase zero.

Além de ter o melhor nível de segurança, os Títulos Públicos contam com outro atrativo: a alta liquidez. Isso significa que você pode transformar seu investimento em dinheiro muito rapidamente, caso precise dos recursos.

CDBs

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário se trata de um investimento muito seguro em renda fixa. Ao investir em um CDB, seu dinheiro fica à disposição de uma empresa que vai usá-lo por um tempo determinado e pagar diretamente a você pelo empréstimo.

Mesmo com o pagamento de Imposto de Renda sobre os rendimentos, investir em bons CDBs garante retornos mais vantajosos que os da poupança. Além disso, o imposto de renda para estes títulos é regressivo, então quanto mais tempo você mantiver seu dinheiro aplicado, menos imposto você vai pagar.

Fundos de renda fixa

Nos fundos de renda fixa você encontra uma grande variedade de produtos em um só local, como títulos públicos e crédito privado, por exemplo. Alocados em um carteira de investimentos, esses produtos ficam sob gestão de uma instituição, que administra seus investimentos conforme comportamento do mercado. Como é composto por vários produtos, facilmente bate o rendimento da Poupança.

A poupança pode ainda ser o produto onde o brasileiro mais deixa seu dinheiro guardado, mas está longe de ser a opção mais rentável. Investir em fundos de renda fixa e de ações, com bastante diversificação ainda é a melhor opção para quem quer investir bem. Quem busca sucesso em seus investimentos, deveria considerar essas opções. 

Comece a investir bem, invista com a Warren.

%d blogueiros gostam disto: