A Warren Destaques investimentos Produtos

A performance de 2018 dos maiores fundos de renda fixa do país é assustadora

No Brasil, 8 dos 12 maiores fundos de renda fixa em número de cotistas, pagaram menos de 70% do CDI em 2018. Todos eles pagaram menos de 90% do CDI.

Anualmente a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) divulga resultados com os números dos maiores fundos de investimento do país. Mas é preciso estar atento, porque ser maior não significa que seja bom.

Segundo os dados referentes ao ano de 2018, dos 12 maiores fundos de renda fixa em número de cotistas, 8 pagaram menos que 70% do CDI. Todos eles pagaram menos de 90% do CDI. Isso sem contar as taxas, que não são menores de 1,5% ao ano.

Ou seja, as pessoas estão perdendo dinheiro ao investir em bancos, mesmo investindo em renda fixa. Para sermos mais precisos, mais de 3,5 milhões de brasileiros perderam dinheiro em 2018 investindo nesse fundos.

Renda fixa: maus produtos que fazem perder dinheiro

Os fundos de renda fixa dos bancos são os responsáveis pelos piores resultados em investimentos em 2018. A queda da taxa Selic contribuiu para esse cenário, mas produtos ruins trouxeram rendimentos ainda menores para o investidor. Quando descontamos todas as taxas e a inflação, a rentabilidade real, que em muitos casos não existe, é assustadora. Para sermos mais objetivos, vamos apresentar os dados.

Leia mais: O que é CDB e quanto ele rende?

Caixa FI RF Simples LP:

Banco: Caixa Econômica Federal
Número de cotistas: 564.407
Rentabilidade do fundo: 4,84% (75,45% do CDI)
Taxa: 1,5% ao ano

BB RF 500 FICFI:

Banco: Banco do Brasil
Quantidade de cotistas: 471.422
Rentabilidade do fundo: 4,35% (67,74% do CDI)
Taxa: 2% ao ano

Bradesco FICFI RF Ref DI Hiperfundo:

Banco: Bradesco
Quantidade de cotistas: 355.303
Rentabilidade do fundo: 2,91% (45,29% do CDI)
Taxa: 2,9% ao ano

BB RF Simples FI:

Banco: Banco do Brasil
Quantidade de cotistas: 352.212
Rentabilidade do fundo: 4,39% (68,30% do CDI)
Taxa: 1,95% ao ano

Bradesco FICFI RF Simples Onix:

Banco: Bradesco
Quantidade de cotistas: 279.522
Rentabilidade do fundo: 4,21% (65,55% do CDI)
Taxa: 2% ao ano

Além dos números apresentados acima, ainda precisamos considerar o desconto do imposto de renda. Assim, não restam dúvidas de que investir em bancos não é uma boa opção. Esses investimentos somam quase R$ 150 milhões. Todos eles muito mal investidos! Dá pra acreditar?

Renda Fixa da Warren: a força dos fundos de crédito privado

Os fundos de renda fixa são indicados para objetivos de curto prazo, médio e longo, de investidores que não querem correr riscos com oscilações.

Investindo no Fundo de Crédito Privado da Warren você aproveita a tranquilidade da renda fixa, com performance que busca vencer o CDI. Quando você investe neste fundo, você está diversificando em diversos outros fundos de crédito privado, que alocam seus portfólios em títulos privados de empresas – na sua maioria, CDBs, LFs e debêntures.

Assim, o Fundo de Crédito Privado da Warren busca entregar rendimentos que partem de 105% do CDI. E o melhor: com uma taxa de 0,5% ao ano pela gestão ativa e um resgate em dois dias úteis.

Leia mais: O que é uma carteira administrada e quais as vantagens

[Veja os rendimentos dos fundos da Warren. Clique em cada fundo e baixe a lâmina de informações.]

Está na hora de sair dos bancos tradicionais, das taxas abusivas e da baixíssima performance que eles entregam. Vamos lá? Comece agora clicando aqui.

1 comentário em “A performance de 2018 dos maiores fundos de renda fixa do país é assustadora

  1. Pingback: Como estão os fundos de renda fixa dos bancos em 2019? – Warren Blog

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: